quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Conclusão

Ter epilepsia não implica atraso mental ou baixo rendimento, nem exclui o génio.
Milhões de pessoas com epilepsia são excelentes profissionais e têm uma vida familiar e sócio-profissional perfeitamente normal.
Algumas pessoas conseguem ter uma vida activa e normal com tratamento adequado.

2 comentários: